quarta-feira, 18 de maio de 2016

Fotoativa Comunica _ Vivência Tapajós 2016

Vem aí a Vivência Tapajós 2016
Fotografia e Viagem em uma única experiência
Fotografia de Viagem - Vivência Tapajós 2016

Serão quatro dias viajando pelos rios Tapajós e Arapiuns, na região oeste do Pará, em uma experiência de imersão que integra fotografia e viagem, em um barco próprio com toda alimentação incluída.



A Fotoativa anuncia que as inscrições estão abertas para a próxima oficina Fotografia de ViagemVivência Tapajós com o fotógrafo e educador Rafael Araújo. A imersão acontece entre 12 e 15 de novembro de 2016. Serão apenas 18 vagas e o primeiro lote vai até 30 de julho com preços promocionais - inscreva-se aqui.
Com uma proposta de 40 horas/aula, a atividade está dividida em dois encontros prévios, na cidade de Belém, para estrutura e planejamento da viagem, e quatro dias de imersão, em barco próprio, com toda alimentação incluída – café, almoço e janta, além de água, sucos e refrigerantes durante os dias de viagem.
Vivência Tapajós - Inscreva-se aquiOs dias de viagem estruturam-se entre momentos de workshop, de interação entre o grupo e com as comunidades e lugares por onde a vivência passará.
Os participantes devem chegar na cidade de Santarém/PA até o dia 11 de novembro, para saírem na manhã do dia seguinte. O pacote não inclui o deslocamento até a cidade de Santarém/PA.

A oficina Fotografia de Viagem vem acontecendo desde 2013. Em 2015 ganha esta edição, de caráter imersivo e vivencial, com workshop, alimentação e deslocamento próprio. “Um tipo de aprendizagem diferente do que eu estava esperando, muito mais uma coisa da vivência da fotografia, da experiência da viagem” afirma Paulo Delages, um dos participantes da edição passada.
Confira as edições anteriores:
Vivência Tapajós, 2015
Fotografia de Viagem na Ilha de Cotijuba, 2014
Fotografia de Viagem à Boa Vista do Acará, 2013
Fotografia de Viagem - Vivência Tapajós 2016Foto: Adriele Silva da Silva
O roteiro se desloca pelo Rio Tapajós, partindo da cidade de Santarém, passando pelas localidades de Maguari, Ponta do Arariá, Alter do Chão, Ponta do Cururu, Pindobal e no Rio Arapiuns, nas comunidades do Arimun, São Marcos, Paraíso, Urucureá e pela Praia Grande. Em seguida, o barco retorna à cidade de Santarém/PA, local de encerramento da atividade.
As inscrições são realizadas on line, via formulário de inscrição.
Vivência Tapajós - Inscreva-se aquiPara aqueles que garantirem sua participação até 30 de julho, o valor à vista para o pacote completo fica em R$1.700 à vista, ou R$1.860parcelados em até 4 vezes. Para aqueles que se inscreverem depois do dia 30 de julho, o valor fica em R$1.900 à vista ou R$2.100 em até 4 vezes.
As informações completas sobre a Vivência Tapajós estão no PDF explicativo. Para fazer pré-inscrição, clique aqui.

Rafael Araujo é natural de Belém-PA. Formado em administração de empresas e comunicação social, com pós-graduacão em Práxis e Discurso Fotográfico na UEL-Universidade Estadual de Londrina-PR, depois de um tempo dedicado à propaganda, largou a vida entre quatro paredes para cair de cabeça no mundo das imagens. “Nascido e criado” nos rios, furos e igarapés da região, Rafael desenvolve seu trabalho autoral documentando o cotidiano e tradições da cultura amazônica e os impactos sofridos por elas em virtude dos efeitos do “desenvolvimento” humano. Possui publicações em revistas locais e nacionais e já realizou trabalho para diversas ONGs e agências de publicidade de dentro e fora do Estado do Pará (Getty Images, Guará Imagens, Futura Press, Revista Nova Escola, Revista Exame, Revista Época, Revista Horizonte Geográfico, Itaú Cultural, Imazon, Instituto Peabiru, The Nature Conservancy, Fundo Vale, TEDxVer-o-Peso, Editora Globo).
Foto do cartaz: Paulo Delage
Fotos no material de divulgação: Paulo Delage, Celina Coelho, Tiago Silveira, Rafael Araújo, Elber Salvino e Adriele Silva da Silva

Foto: Rafael Araújo

SERVIÇO

Fotografia de Viagem “Vivência Tapajós 2016” com Rafael Araújo
de 12 a 15 de novembro
02 encontros em Belém/PA
04 dias navegando pelos rios Tapajós e Arapiuns saindo de Santarém/PA
Workshop Fotografia de Viagem
Barco próprio
Alimentação incluída

até 30 de julho R$1.700 à vista ou R$1.860 parcelados em até 4 vezes
depois de 30 de julho R$1.900 à vista ou R$2.100 em até 4 vezes



Associação Fotoativa


Associação Fotoativa
desde 1984

 

visite fotoativa.org.br
escreva a.fotoativa@gmail.comligue +55 (91) 3225-2754
Praça das Mercês, 19 · Campina · Belém · Pará · Brasil

terça-feira, 17 de maio de 2016

Fotoativa Comunica: próximas atividades

E então, seguimos!
Compartilhamos nossas próximas atividades para você se programar.
Fotoativa Portas Abertas para o lançamento do livro O Reggae no Caribe Brasileiro de Ramusyo Brasil
A projeção da videoarte Nam Sybillam das diretoras Galvanda Galvão e Izabela Leal será o ponto de partida para uma roda de conversa aberta sobre literatura e artes. Mário Faustino e T.S. Eliot, a sibila na cidade acontece como parte da programação Fotoativa Portas Abertas, no dia 24 de maio, terça-feira, a partir das 19h, com a presença das diretoras e comentários do ensaísta Nilson Oliveira.

Confira mais
Inscrições Abertas! Diálogos e investigações sobre uma Belém Imaginária com Michel Pinho
A Fotoativa lança atividade para investigar os lugares e memórias da nossa cidade. Diálogos e investigações sobre uma Belém Imaginária fica por conta do fotógrafo e historiador Michel Pinho. Serão três encontros, uma noite de diálogos, uma caminhada fotográfica e uma noite de conversas sobre o material produzido.
Segundo Michel Pinho “Belém imaginária é um momento de discussão sobre as possibilidades poéticas de Belém, diálogos entre imagem e palavra. Tratar a cidade como colcha de memória, onde a história tem papel fundamental”.

Inscrições aqui
Inscrições Abertas! Fotografia de Viagem "Vivência Tapajós" com Rafael Araújo
Inscrições abertas para a próxima oficina Fotografia de Viagem Vivência Tapajós com o fotógrafo e educador Rafael Araújo. A imersão acontece entre 12 e 15 de novembro de 2016. Serão apenas 18 vagas e o primeiro lote vai até 30 de julho com preços promocionais.
Serão quatro dias viajando pelos rios Tapajós e Arapiuns, na região oeste do Pará, em uma experiência de imersão que integra fotografia e viagem, em um barco próprio com toda alimentação incluída.

Mais informações ou inscreva-se aqui

E mais!

Confira o que aconteceu durante nossas últimas atividades:
Projeto Pinhole Day Belém comemora 15 anos com "DesLar"
Café Fotográfico com Suely Nascimento na íntegra!
Fotoativa Portas Abertas na 11ª edição do Circular



Associação Fotoativa


Associação Fotoativa
desde 1984

 

visite fotoativa.org.br
escreva a.fotoativa@gmail.comligue +55 (91) 3225-2754
Praça das Mercês, 19 · Campina · Belém · Pará · Brasil

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Café Fotográfico recebe Flavya Mutran e seu Arquivo 2.0

 
Desmemórias e conexões no Café Fotográfico com Flavya Mutran
Trabalho recente da fotógrafa Flavya Mutran será pauta de conversa no encontro
Fotoativa Portas Abertas para o lançamento do livro O Reggae no Caribe Brasileiro de Ramusyo Brasil
A fotógrafa trará para a conversa a experiência de seu mais recente trabalho Arquivo 2.0 – Desmemórias Fotógraficas, com trabalhos que provocam o espectador, que precisa vasculhar o próprio repertório imagético atrás das lembranças fixadas a partir da imprensa, mídia, moda e o tão atual compartilhamento de imagens via web. O projeto foi vencedor do Prêmio de Artes Visuais Banco da Amazônia 2016, que ficará em exposição entre os dias 18 de maio e 24 de junho.
Além de ponderar sobre o papel cultural da fotografia, a artista também busca proporcionar uma nova experiência do público com as imagens clássicas, já que apesar de ser uma pesquisa sobre o universo fotográfico, o contato não ocorre com fotografias formalmente expostas na galeria, e sim vídeos, objetos, livros e instalações, que resultaram na produção do livro de mesmo título. Assim o trabalho de Flavya põe em pauta imagens emblemáticas de registro da história que fazem parte da memória coletiva das sociedades modernas, como a menina que corre da guerra no Vietnã, a criança africana à espeita de um Carcara ou uma silhueta espelhada numa poça d´água captada por Cartier Bresson.
A mostra será apresentada pela primeira vez na capital com obras de DELETE.use e RASTER, duas séries que a artista paraense vem aprofundando por meio de sua pesquisa de doutorado Universidade Federal do Rio Grande Sul. Em DELETE.use, a fotógrafa seleciona imagens conhecidas como parte das narrativas modernas e, simplesmente, apaga, ou melhor, deleta a figura humana, como uma estratégia de reocupação virtual da fotografia enquanto espaço social “Não são fotografias, e sim, espaços de encontro. A série DELETE.use, autodefine o duplo risco do apagamento e (re)uso de algo, que neste caso não exclui, e sim sugere novas conexões, inclusões”, diz Flavya.
A reflexão sobre o conceito de desmemória fica evidente em RASTER, em que a fotógrafa exibe as transcrições visuais e sonoras dos códigos de imagens também coletivamente muito conhecidas, explorando a plasticidade das versões alfanuméricas da linguagem de computadores. Nesta, a fotógrafa apresenta 12 clássicos da fotografia universal, porém em suas versões algorítmicas. “Embora possa parecer uma tentativa vã de mensurar o que não tem medida, me ajuda a lidar com o fato de que nem mil palavras, sequer imagens, são capazes de valer mais que o tempo ou o espaço da memória”, afirma.
Flavya Mutran
Café fotográfico: a arte de dialogar
Hoje referência no Brasil e no exterior, a fotografia paraense vem se constituindo desde a década de 1980 pela cultura do diálogo e da colaboração.
Símbolo da tradição que valoriza o debate e a interação, o Café Fotográfico iniciou em 2008 como uma atividade que valoriza o pensamento crítico sobre a fotografia – ou que é gerado a partir dela – e os seus diálogos com a imagem, reunindo quem atua ou se interessa pelo assunto em suas mais variadas possibilidades e abordagens.
Sob a coordenação de Irene Almeida, a programação valoriza tanto a participação de autores locais, para divulgar as suas obras, como o diálogo com produtores de outros lugares, o que permite a articulação com o que é pautado nas discussões realizadas em outras regiões do país.
No decorrer dos últimos anos, o Café fotográfico incentivou a discussão de temas os mais diversos possíveis, ligados tanto à fotografia quanto à produção artística visual. Outra marca do evento é a pluralidade de participantes. Os palestrantes convidados não se restringem a fotógrafos, o que favorece também a inclusão de outros grupos, como estudiosos, curadores, estudantes e profissionais de diversas áreas.
Flavya Mutran
É paraense e atua no campo da arte e comunicação desde 1989. Mestre em Artes Visuais pelo PPGAVI do Instituto de Artes da UFRGS (Porto Alegre/RS), ARQUIVO 2.0 é sua pesquisa de doutorado com estágio no Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa/PT (PDSE, BOLSISTA CAPES), com ênfase em compartilhamentos de fotografias via web. Participa de exposições no Brasil e no exterior desde os anos 1990, tendo recebido prêmios e com obras nos acervos da Coleção Pirelli/MASP (São Paulo/SP); na Coleção Joaquim Paiva em comodato no MAM-RJ (Rio de Janeiro/RJ); na coleção de Fotografia Contemporânea Paraense do Museu de Arte Contemporânea do Pará (Belém/PA); no MARGS – Museu de Arte do Rio Grande do Sul e MAC-RS (Porto Alegre/RS).
Visite o site da Flavya flavyamutran.com.br
Saiba mais sobre o projeto Arquivo 2.0 arquivodoispontozero.com.br

SERVIÇO

Arquivo 2.0 – Café Fotográfico com Flávia Mutran
Dia: 11 de maio de 2016 – quarta-feira
Hora: 19h
Local: Casarão Fotoativa
Endereço: Praça das Mercês, 19, Campina
Realização: Associação Fotoativa
Entrada gratuita



Associação Fotoativa


Associação Fotoativa
desde 1984

 

visite fotoativa.org.br
escreva a.fotoativa@gmail.comligue +55 (91) 3225-2754
Praça das Mercês, 19 · Campina · Belém · Pará · Brasil

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Luz, Câmera, ADOÇÃO! no MIS-SP


Apoiadora da exposição O Mundo de Tim Burton, a Petz realiza o evento Luz, Câmera, Adoção! no próximo dia 30, em parceria com o MIS - Museu da Imagem e do Som de São Paulo e a ONG AMPARA Animal.


segunda-feira, 25 de abril de 2016

REGIONAL NORTE PROMOVE SEGUNDA EDIÇÃO DO PROJETO “RODA DE CONVERSA”

Divulgação
A Representação Regional Norte do MinC convida para a segunda edição do projeto “RODA DE CONVERSA” e tem por objetivo avançar na discussão de registro profissional, direitos trabalhistas e previdenciários para Mestres da Cultura, Artistas e Técnicos da área cultural de nosso Estado.

O primeiro encontro foi realizado no dia 22/3, no auditório da Representação Regional Norte do MinC, teve como tema CULTURA & TRABALHO, Contou com a presença do Sr. Esmerino Nery Batista Filho (Superintendente Regional do Ministério do Trabalho/MTE), Sr. Delson Cruz (Chefe da Representação Regional Norte do MinC) e representantes de diversos segmentos da cultura. A partir da reflexão e discussão foram tirados temas de interesse e assim, organizada a base para a segunda reunião, que acontecerá amanhã, 26/4, no auditório do INSS, parceiro da ação.  

O projeto teve como base a reflexão da necessidade dos trabalhadores de cultura se apropriarem da discussão a respeito do reconhecimento profissional dos trabalhadores da cultura (registro profissional, Código Brasileiro de Ocupação/COB, direitos trabalhistas, etc). Isto é, o reconhecimento do “fazer cultural”, na produção da cultura alimentar, funções técnicas da produção do audiovisual, música, dança, circo e demais segmentos que se fizeram presentes. Outros temas importantes também foram levantados como saúde & cultura, financiamento & cultura e que serão tradados que serão tratados em encontros futuros.

O tema para edição do projeto foi definido na edição anterior e será TRABALHO & PREVIDÊNCIA. Tem como objetivo identificar questões e aspectos, estruturar discussão com os órgãos envolvidos, identificar possibilidades e buscar encaminhamentos concretos, que beneficiem artistas, mestres da cultura e trabalhadores/técnicos do nosso Estado, sendo esta a primeira oportunidade de abordagem deste tema. Nesta segunda edição, o projeto contará com a participação do Sr. Marcio Leno Maués (Gerente Executivo do INSS em Belém/Pa), Esmerino Nery Batista Filho (Superintendente do MTE) e do Sr. Delson Cruz (Chefe da Representação Regional Norte do MinC), que conduzirá as discussões.

Poderão participar da reunião artistas, militantes, agentes culturais, arte-educadores, sindicatos de setores culturais e o público em geral, sendo necessário o envio de e-mail, confirmando sua participação. O evento será gratuito, porém será necessário envio de email prévio pelo interessado para confirmação de participação..

SERVIÇO

RODA DE CONVERSA TRABALHO & PREVIDÊNCIA
Auditório do INSS (GEXBEL)
Dia 26/4/2016 (Terça-feira) às 15 horas
Local: Av. Nazaré, 133 (entre Assis de Vasconcelos e Dr. Morais)
E-mail para envio de confirmação: comunica.mincnorte@gmail.com

Contatos e maiores informações:
Representação Regional Norte do MinC (RRNM)
Av. Governador José Malcher, 474
Nazaré – Belém/PA

Assessoria de Comunicação
Responsável: Ana Morback
Telefone: 3073-4150
Conheça nosso perfil do Facebook https://goo.gl/24DNRP

terça-feira, 19 de abril de 2016

"Des Ve Lar" 15 anos Pinhole Day Belém

E então, vamos pinholear?
A Fotoativa entra na reta final de atividades do Pinhole Day Belém, cujo tema Des Ve Lar, alinhado às comemorações dos 400 anos da cidade, sugere o livre jogo entre ver, velar e desvelar, imaginando as diversas camadas que habitam a cidade e seus conviventes.
Além disso, Des Ve Lar celebra os quinze anos de realização contínua do Pinhole Day Belém, que desde 2002, incluiu a cidade de Belém na rota e no calendário mundial da fotografia artesanal de furinho.

Noite de Conversas – relatos de experiência


Na quarta-feira, 20 de abril, véspera do feriado, as portas do Casarão estarão abertas para relatos de experiência de artistas, educadores e pesquisadores, tomando a fotografia pinhole como objeto de debate. A entrada é franca e a roda começa às 19h. Confira os relatos:
MiniDocs - iniciação em edição de vídeo
Foto: Renata Aguiar
Insular: pelo buraco da agulha por Renata Aguiar
Insular é o que está relacionado com ilha ou a ela pertence. Ilha é um pedaço de terra cercado de água por todos os lados. O buraco da agulha pode ser o ínfimo espaço por onde a luz que o atravessa forma a imagem, fixada na superfície sensível da fotografia, pode ser também o pequeno furo pelo qual observo como estrangeira a realidade de um outro, o aluno/fotógrafo, que provocado pelas possibilidades da luz, apresentadas em atividade da disciplina de Arte na Casa Escola da Pesca, retrata, recria, registra e reconstrói relações de identidade e afeto com o lugar que habita e pelo qual é habitado. Dessa experiência que mediei como professora, que pretendo falar.
Confere mais do trabalho da Renata Aguiar

Foto: Ionaldo Rodrigues
Por dentro do diário de classe: a fotografia pinhole como reflexo do outropor Cinthya Marques
Estudo de caso da oficina de fotografia artesanal realizada por Sinval Garcia (1966 – 2011) para alunos da Fundação Curro Velho em 1997, e as relações encontradas na prática educativa enquanto espelho de si, relacionadas à técnica pinhole.
Confere mais sobre a Cinthya Marques
Tenda Lab
Foto: Joyce Nabiça
Vila da Barca
por Joyce Nabiça
Busco olhar para uma Vila da Barca não muito conhecida ou não conhecida por alguns. Revelo, desvelo uma Vila que talvez exista nas minhas lembranças não vividas. Sensações que só a fotografia pinhole pode me proporcionar.
Pinhole Elétrico
Foto: Miguel Chikaoka
"Mottainai - Pin", quinze anos luz 
por Miguel Chikaoka
Desvelar a potência que reside no exercício da fotografia pinhole, a partir do que trata o filósofo Vilém Flusser, no livro "Filosofia da Caixa Preta" com o propósito de refletir sobre a capacidade de pensar do homem numa sociedade dominada pela tecnologia.

Jornada Pinhole Day Belém 2016


Casarão Fotoativa, Pinhole Day Belém 2015. Foto: José Viana
24 de abril. Em diversas cidades no mundo inteiro, em meio ao veloz avanço tecnológico que se dá no tempo-espaço, celebra-se concomitantemente a fotografia artesanal de furinho.
Possibilidade de se inclinar sobre a passagem do tempo, contando segundos, minutos e até horas para produzir uma única e singela imagem, sem grandes ou pequenos aparatos tecnológicos, com excessão daqueles produzidos pelas próprias mãos dos apaixonados pela fotografia pinhole.
Em Belém, com a Fotoativa, são quinze anos de celebração. No último domingo de abril, 24, as atividades se estenderão ao longo do dia, a partir das 8h da manhã, até o cair do sol. As inscrições serão feitas antecipadamente via formulário on line, e também podem ser feitas na hora, durante o evento.
A Jornada Pinhole Day é uma realização da Associação Fotoativa, juntamente com sua rede de artistas e colaboradores. Incentive, convide seus amigos e participe de mais este momento.

SERVIÇO

Des Ve Lar | Pinhole Day Belém 2016
Encontros preparatórios para Voluntários
nos dias 15 de abril de 19h às 22h e 16 de abril de 9h às 12h
inscrições gratuitas
Noite de Conversas – relatos de experiência
com Renata Aguiar, Cinthya Marques, Joyce Nabiça e Miguel Chikaoka
quarta-feira 20 de abril às 19h
entrada franca
Jornada Pinhole Day Belém 2016
domingo 24 de abril a partir das 8h
R$15 antecipado e R$20 no dia do evento
Todas as atividades acontecem no Casarão Fotoativa
localizado na Praça das Mercês, 19 – Bairro da Campina – Belém, Pará
Aguarde as próximas chamadas. Acompanhe tudo pelas nossas redes sociais no
facebook.com/associacaofotoativa e no instagram.com/fotoativa



Associação Fotoativa


Associação Fotoativa
desde 1984

 

visite fotoativa.org.br
escreva a.fotoativa@gmail.comligue +55 (91) 3225-2754
Praça das Mercês, 19 · Campina · Belém · Pará · Brasil

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Diário Contemporâneo abre exposições

Diário Contemporâneo abre exposições
Abril marca o lançamento oficial da Coleção de Fotografias


Morar, de Coletivo Garapa
  
                Após muito trabalho e organização sistemática, a exposição “VII Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia”, que traz os trabalhos que integram a Coleção de Fotografias do projeto será vista pela primeira vez em um conjunto constituído oficialmente. A abertura está marcada para o dia 14 de abril, às 19h, no Espaço Cultural Casa das 11 Janelas. No dia seguinte, também às 19h, o Museu da UFPA inaugurará a segunda parte da mostra com as obras sobre a sua guarda. Além disso, os dois espaços receberão a mostra especial “Belém: Ressacas, Heranças”, com trabalhos de fotógrafos atuantes no Pará. A entrada é franca.
Desde o início da sua atuação, o Diário Contemporâneo sempre buscou ser mais que um prêmio. Tanto que em 2016 ele teve seu edital suspenso para que pudesse se dedicar a formalizar a coleção de fotografias que vinha reunindo desde a sua primeira edição. São trabalhos em fotografia, vídeo, instalação e outras linguagens produzidos por 44 artistas de todas as regiões do pais. Belém recebe, através da ação do projeto, uma coleção de fotografia contemporânea que está sob a guarda das duas instituições públicas parceiras: o Espaço Cultural Casa das 11 Janelas e o Museu da UFPA.
Serão vistos trabalhos de Carlos Dadoorian (SP), Luiz Braga (PA), Coletivo Garapa (SP), Ilana Lichtenstein (SP), Lívia Aquino (SP), Lucas Gouvêa (PA), Daniela Alves e Rafael Adorjan (DF e RJ), Emídio Contente (PA), Wagner Almeida (PA), Marcio Marques (SP), Renan Teles (SP), Ricardo Hantzschel (SP), Alex Oliveira (BA), Diego Bresani (DF), Yukie Hori (SP), Francilins Castilho Leal (MG), Ivan Padovani (SP), Ionaldo Rodrigues (PA), Rafael D’Alò (RJ), Randolpho Lamonier (MG), Pedro Clash (SP), Daniela de Moraes (SP), Dirceu Maués (PA), Felipe Ferreira (RJ), Guy Veloso (PA), Júlia Milward (RJ), Marco A. F. (RS), Marise Maués (PA), Marcílio Costa (PA), Pedro Cunha (CE), Tom Lisboa (PR), Tuca Vieira (SP), Véronique Isabelle (Canadá), Alberto Bitar (PA), Ana Mokarzel (PA), Janduari Simões (BA), Jorane Castro (PA), Miguel Chikaoka (SP), Octavio Cardoso (PA), Roberta Carvalho (PA), Walda Marques (PA), José Diniz (RJ), Mateus Sá (PE) e Péricles Mendes (BA).
A mostra especial desta edição, intitulada “Belém: Ressaca, Heranças” terá, segundo Mariano Klautau Filho, curador do projeto, “a cidade e seu espaço urbano como objeto de reflexão em um momento histórico em que completa seus 400 anos. A proposta da curadoria aos artistas participantes foi pensar a cidade criticamente tendo como referência a estrutura física e simbólica de alguns de seus patrimônios arquitetônicos em processo de transformação”. Trabalhos de Alexandre Sequeira, Ana Mokarzel, Coletivo CêsBixo, Luiz Braga, Martin Perez, Paula Sampaio, Walda Marques e Wagner Almeida apresentarão um olhar crítico sobre a cidade na mostra que também se dividirá entre ambos os espaços expositivos.
 
Prêmio Brasil Brasis - Sem título, da série Lugares Imaginários, 2009 - Octávio Cardoso

SERVIÇO

Diário Contemporâneo abre exposições
Datas: 14 e 15 de abril de 2016. Horário: 19h. 
Locais: Espaço Cultural Casa das Onze Janelas (Praça Frei Caetano Brandão s/n - Cidade Velha) e Museu da UFPA (Av. Governador José Malcher (esquina com Generalíssimo Deodoro)
Entrada franca. 
Visitação até 19 de junho. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio da Vale, apoio institucional do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA). 
Informações: Rua Aristides Lobo, 1055 (entre Tv. Benjamin Constant e Tv. Rui Barbosa) – Reduto. Contatos: (91) 3355-0002; 98367-2468; contato@diariocontemporaneo.com.brpremiodiario@gmail.com e http://www.diariocontemporaneo.com.br.

segunda-feira, 4 de abril de 2016







48H DitaDURA Nunca Mais!


Artistas Paraenses estarão realizando em Belém as 48H Ditadura Nunca Mais! que nada mais é que um Convite criado pela internet, através de um bate-papo da artista Lucia Gomes com o Artista visual Arthur Leandro. Que tem como objetivo o resgate histórico , preservação da mémoria. Rememorando as lutas e atos de resistência ao famigerado Golpe Militar de 64, que instalou a ditadura no Brasil, onde todos os direitos democráticos foram suprimidos. Por exemplo na rua não podia se reunir ou andar 3 cidadãos juntos, os sindicatos dos trabalhadores foram fechados, não havia eleição direta, o movimento estudantil foi literalmente pisoteado e proibido, era impossível manifestar-se contra corrupção e por qualquer outras lutas democráticas. A prática da tortura, assassinato e corrupção era a política dos grandes escalões militares mancomunados com o grande capital internacional – tempo da Guerra Fria... O tema no bate-papo surgiu após a campanha de desinformação do editorial da Folha de São Paulo em 2009, que afirmou que no Brasil não teve Ditadura, porém ditamole... Democratas em geral - historiadores, sociólogos, artistas e intelectuais do Brasil todo protestaram veementemente contra esta mentira, e a prática de desinformação e manipulação da imprensa brasileira movida pelo grandes capitais e conglomerados. Desde então o Convite 48 H Ditadura fica aberto a todos os cidadãos que queiram contribuir com ampliação e consolidação da Democracia Brasileira. Tem programação flexível, voluntária e sempre aberta a novas contribuições – Inicialmente está programado em Belém a presença dos músicos Eraldo Costa, Príamo Brandão e Luiz Makãbyra, que apresentarão um eclético repertório que vai desde músicas autorais, a música popular brasileira, ao Carimbó. Artistas visuais como Keyla Sobral, Werne Oliveira, Cledyr Pinheiro, Evna Moura, Faeli Moraes, Murilo Rodrigues, Danielle Fonseca, Brunelle, Nina Matos, Heraldo Cândido, Carla Beltrão, Arthur Leandro, Claudia Leão, Lucia Gomes entre outros artistas e coletivos farão uma Mostra Artística que vai circular em formato de varais e murais nas Periferias e centro de Belém, Icoaraci, Mosqueiro e Ananindeua. Tudo entremeado por leitura de poesias e textos feitas por performers e atrizes como Maridete Daibes e Regina Santa Brígida que lerão poemas de Tiago de Melo e Paulo Fonteles, entre outros escritos valiosos da resistência do chamado Holocausto Brasileiro. As 48H DiraDURA Nunca Mais se dará em locais públicos durante o mês de abril haverá também rodas de conversa, seminários e oficinas com artistas, professores e intelectuais convidados, sendo que a programação abrirá dia 31 de março com Mostra e Varal “Ditadura NUNCA MAIS”.
Contatos: Lucia Gomes 984 20 72 40

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Abertas as inscrições para a oficina “Horizonte Reverso”, com Dirceu Maués

Dirceu Maués realiza oficina pelo Diário Contemporâneo

Vencedor em 2015 do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia com a instalação “Horizonte Reverso”, o paraense Dirceu Maués ministrará a oficina que leva o mesmo nome de sua obra. A ação formativa ocorrerá no período de 09 a 11 de abril, das 10 às 12h, na varanda do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas. A ficha de inscrição está disponível no sitewww.diariocontemporaneo.com.brAs inscrições são gratuitas e seguem abertas até o dia 06 de abril.
Desde 2003 Dirceu desenvolve um trabalho autoral que mescla as áreas da fotografia, do cinema e do vídeo. A base da pesquisa é a construção de câmeras artesanais e utilização de aparelhos precários.
A instalação “Horizonte Reverso revela um mundo de ponta cabeça. Nela a mágica e imaterial imagem se projeta no interior das várias câmeras escuras num mosaico em constante mudança. A oficina é em colaboração com o trabalho de intervenção do artista. Os integrantes terão acesso ao processo de criação do fotógrafo, discutindo a relação com os dispositivos tecnológicos e participando da construção das câmeras escuras. A obra que integra a Coleção Diário Contemporâneo de Fotografia será exibida na varanda do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas durante as exposições da 7ª edição.
 
Horizonte Reverso ©Irene Almeida - WEB
                        
Dirceu Maués – Vive em Brasília. Graduado em Artes Plásticas pela UNB (2012). Mestrando do Programa de pós-graduação em Arte – UNB. Atuou como fotógrafo dos principais jornais impressos em Belém, de 1997 a 2008. Em 2003, iniciou trabalho autoral nas áreas da fotografia, cinema e vídeo, o qual tem como base pesquisas com a construção de câmeras artesanais e utilização de aparelhos precários. Em 2009 foi artista residente pelo programa Rumos Itaú Cultural em KünstlerhausBethanien/Berlim. No mesmo ano, recebeu a bolsa Funarte de estimulo à criação artística e participou do projeto Encontros com a Fotografia – FNAC. Participou como artista convidado da 16a Bienal de Cerveira – Portugal, 2011 e do 17º Festival Internacional de Arte contemporânea SESC_Videobrasil, 2011, onde recebeu prêmio de Residência em WBK - VrijeAcademy - Haia, Holanda. Seus trabalhos fazem parte dos acervos: Coleção Pirelli-Masp de Fotografia, Coleção FNAC, Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC - Videobrasil, MAC - PR (Museu de Arte Contemporânea - PR), MARP (Museu de Arte de Ribeirão Preto), MEP (Museu do Estado do Pará), Coleção Joaquim Paiva e Coleção Rubens Fernandes Jr.
 
Dirceu Maués  através da instalação Horizonte Reverso - Foto - Irene Almeida - WEB


SERVIÇO: Dirceu Maués realiza oficina pelo Diário Contemporâneo. As inscrições são feitas pelo site www.diariocontemporaneo.com.br até 06 de abril. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio da Vale, apoio institucional da Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA). Informações: Rua Aristides Lobo, 1055 (entre Tv. Benjamin Constant e Tv. Rui Barbosa) – Reduto. Contatos: (91) 3355-0002, 98367-2468,premiodiario@gmail.com e contato@diariocontemporaneo.com.br.

Equipe Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia
(91) 98367-2468 | 3335-0002