sábado, 15 de novembro de 2014

Instituto de Artes do Pará lança CD e DVD “Os Pássaros”

Instituto de Artes do Pará lança CD e DVD “Os Pássaros”

Projeto multimídia inclui CD, DVD e livreto contando a história dos Pássaros Juninos em Belém. Lançamento é no próximo dia 21 de novembro, com show dirigido pelo músico Félix Robatto e apresentação do documentário dirigido por Vladimir Cunha.
 
Dona Izabel. Guardiã do Pássaro Papagaio Real 
No próximo dia 21 de novembro, o Instituto de Artes do Pará apresenta “Os pássaros – A música e o teatro popular do Pará”, projeto multimídia composto por livreto, CD e DVD, criado para resgatar e fazer reconhecer o trabalho dos grupos de pássaros juninos. O lançamento conta com show dirigido por Félix Robatto, onde estarão presentes: Ana Clara Matos, Richelli Rodrigues, Nanna Reis, Larissa Leite, Camila Honda, Adriana Cavalcante, Aíla, Reginaldo Viana, ProeFex e Cronistas da Rua. Tudo gratuito, a partir das 20h, no anfiteatro do Instituto de Artes do Pará.

Realizado entre os anos de 2012 e 2013, o projeto foi criado para que os Pássaros Juninos, manifestação cultural realizada exclusivamente no Pará, há quase quatro décadas, volte a ter a importância e o reconhecimento que teve no passado.
O projeto apresenta como resultado um material multimídia de livreto, CD e DVD, contando de forma abrangente o conceito da manifestação, como ela foi criada e sua importância para os brincantes e guardiões dos Pássaros Juninos.
Para o DVD, foi produzido um documentário dirigido por Vladimir Cunha, que traz a origem dos Pássaros, seus principais agentes e os motivos que levam essas pessoas a fazer desta manifestação a sua profissão de fé. O projeto inclui ainda um CD tributo, com direção musical de Félix Robatto. O disco foi proposto com a ideia de aproximar a manifestação a um novo segmento de público. Nele estão releituras de músicas do repertório dos Pássaros Juninos, interpretadas por músicos contemporâneos de Belém, como Camila Honda, Felipe Cordeiro, Keila Gentil, Adriana Cavalcante e outros.
 
Dona Eliete. Guardiã do PássaroTem-Tem do Guamá
Pássaros Juninos – A ópera popular
Nascida na Belle Époque por volta do ano 1900, a manifestação dos Pássaros Juninos surgiu dos grandes espetáculos de ópera, dentro do Theatro da Paz, à época da efervescência cultural de Belém, impulsionada pelo ciclo econômico da borracha. Seus criadores eram os profissionais da coxia, os camareiros, serventes e demais trabalhadores que viam os espetáculos apenas pelos bastidores e resolveram criar sua própria versão, encenando-a nos bairros de periferia onde moravam.

A manifestação folclórica é considerada a única tipicamente de Belém. Os cordões de Pássaros Juninos viveram anos de grande apogeu, mas nas quatro últimas décadas, mas desde que perdeu o local onde se apresentava, o Teatro São Cristóvão, a manifestação perdeu sua força

Por entender e importância, desde 2011 o Instituto de Artes do Pará vem dando apoio e promovendo cursos e oficinas de aperfeiçoamento aos artistas fazedores dos Pássaros Juninos, resgatando e fortalecendo a tradição; inclusive com iniciativas como a Revoada dos Pássaros, idealizada pelo professor João de Jesus Paes Loureiro e realizada anualmente pelo IAP, para valorizar a manifestação popular.

Participação de Aíla | Foto de Roberta Carvalho
O documentário
Dirigido por Vladimir Cunha, o documentário faz um passeio histórico pelos Pássaros Juninos, ressaltando sua origem nos tempos da chamada Belle Époque Amazônica. É quando surge o pássaro, a ópera popular paraense, escrita pelos serviçais da elite paraense que trabalhavam no Theatro da Paz, que as encenavam nos bairros da periferia onde moravam.

No documentário, Vladimir também aborda a questão da tradição transmitida nas famílias envolvidas no processo de encenação, e repassadas a cada nova geração, pontuando a seriedade e comprometimento que os brincantes dos Pássaros Juninos. “A impressão que dá é que não importa que deve ser feito e sim o que é possível fazer a partir do que se tem”, diz o diretor. Vladimir explica que, “o Pássaro é para ser brincado, para sublimar por alguns momentos a aridez cotidiana de quem vive nas áreas mais carentes de Belém e não tem tempo de dramatizar a própria a própria vida. A balconista de supermercado, o feirante, o estudante de escola pública, todos renascidos durante algumas horas como condes, princesas, príncipes e fadas, antes que tudo acabe e a realidade se imponha novamente em seus aspectos mais opressores”, finaliza.

Participação de Ana Clara | Foto de Taiana Laiun

A música
Com direção musical de Luiz Félix Robatto, o CD faz um tributo aos pássaros juninos. Félix conta que a ideia principal foi a de trabalhar as músicas dos pássaros juninos com uma nova roupagem, botando gente nova na música do Pará para interpretar. “Tivemos a ideia de chamar essa gente nova do cenário musical da cidade para interpretar as antigas músicas de pássaro junino, trabalhando também em novos arranjos e uma pegada mais moderna, para que elas fiquem mais acessíveis ao público.”, ressalta.

O CD conta com participações de Felipe Cordeiro, Keila Gentil, Camila Honda, Adriana Cavalcante e outros nomes do atual cenário musical de Belém.

Para o show de lançamento, Félix conta que ele deve seguir o mesmo repertório do disco. “O disco foi pensando com nuances para justamente não deixar a peteca cair e pretendemos utilizar este mesmo método para o show. Será um show mais pra cima, onde a gente pretende agitar o público que vier prestigiar o show.”, afirma.


Serviço:
Show de lançamento do CD e DVD do Projeto “Os pássaros – A música e o teatro popular do Pará”

Com: Félix Robatto, Camila Honda, Ana Clara Matos, Nanna Reis, Richelli Rodrigues, Larissa Leite, Adriana Cavalcante, Aíla, Reginaldo Viana, ProeFx e Cronistas de Rua.

Data: 21 de novembro de 2014
Hora: 20h
Local: Anfiteatro do IAP – Praça Justo Chermont, 236.
Entrada franca.

-- 
Equipe Ascom - IAP
Telefones: 4006-2918
E-mail: iapcomunicacao@gmail.com
Site: www.iap.pa.gov.br
Twitter: @iap_pa

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Marina Boaventura realiza performance "Assédio Moral" no Sesc Boulevard

Foto | Bruno Cantuária
Nesta quarta-feira 12/11, às 19h, a artista Marina Boaventura, realiza a performance/exposição “Assédio Moral” no Sesc Boulevard. A obra é composta por um vestido costurado, pintado e bordado pela própria artista, o qual ela utiliza durante performance.

Foto | Bruno Cantuária
A obra da artista, natural do Tocantins, é resultado do período em que esteve doente e se recuperando de uma grave intoxicação adquirida no ambiente de trabalho, onde sofreu assédio moral e foi submetida a trabalhar numa sala insalubre. Durante a recuperação, Marina pintou, bordou, costurou o vestido retratando a dor e sofrimento que viveu.

A ação é contemplada pelo projeto Sesc Amazônia das Artes.

A entrada é gratuita

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Abertura da exposição "Performatividade & Memória" no Paço das Artes | 08.11, 15h | Grátis

Programação pela Fotoativa em novembro

novembro na Fotoativa
2014 · Belém · Pará · Brasil

Programe sua agenda, em novembro teremos muitas atividade. Projetos em fase de conclusão e planejamentos para o próximo ano, com nossa volta ao Casarão.
Ideias, dúvidas, sugestões e propostas escreva para nucleocomunicativa@gmail.com
você está convidado


Café Fotográfico com Orlando Maneschy

Café Fotográfico com Orlando Maneschy

11 novembro · 18h · Centro Cultural Sesc Boulevard

A conversa parte de como o pensar a arte se constrói na trajetória de Maneschy por meio de processos de criação individuais e coletivos, materializados em sua obra, no olhar e no diálogo com o outro.
Exposição Instâncias da Luz, resultados Lab.Círio - Laboratório de Criação em Narrativas Visuais

'Instâncias da Luz' na Galeria Fidanza

12 novembro · 19h · Galeria Fidanza · Museu de Arte Sacra de Belém

Os participantes do Lab.Círio - Laboratório de Criação em Narrativas Visuais apresentam parte da produção realizada durante o Círio de Nazaré. A exposição é resultado de uma sequência de encontros com convidados, discussões e edições coletivas do material produzido.
+ Mais informações
Café Fotográfico com Orlando Maneschy

Fototaxia na Mostra de Saberes

17 a 19 novembro · 09h às 21h · Estação das Docas

A Secretaria Municipal de Educação de Belém realiza sua Mostra de Saberes, em tríplice Encontro. O Projeto Fototaxia em busca do elo perdido apresenta parte do resultado produzido com seis professores de arte, seus alunos e escolas.
+ Sobre o Encontro
Simpósio Pinhole ao Cubo - processos, potências e possibilidades

Simpósio Pinhole ao Cubo

14 novembro · 09h às 18h · CENTUR

O Simpósio acontece, em parceria com o Centur, como desdobramento do Pinhole Day Belém 2014. Recebe convidados referenciais para ampliar as reflexões acerca do fazer fotográfico artesanal, suas possibilidades de criação e contribuições na Educação. O encontro é aberto a todos. Espaço sujeito a lotação. Reserve o seu dia.
+ Sobre o Simpósio
Oficina de Portfolio com CamilaFialho

Oficina de Portfólio com Camila Fialho

06 encontros · 25 de novembro a 11 de dezembro · R$150

A oficina propõe um espaço de troca para elaboração de portfólios, desde a seleção, a organização e a discussão até a apresentação dos trabalhos. Os encontros mesclam atividades práticas e apanhados pontuais sobre o material levado pelos participantes.
+ Veja o Vídeo

Novas publicações

Nossa biblioteca está cada vez mais interessante. Agradecemos a todos pelas doações, promovendo a circulação de formas distintas de enxergar e atuar no mundo.
+ Confira a lista de novas publicações
mais uma contribuição para o acervo de 'Textos'


Primitivo da Fotografia: relato, referências e anotações, por Camila Fialho a partir da oficina de Ionaldo Rodrigues

As inquietações que levaram toda uma geração de artistas e cientistas a se debruçar e descobrir simultaneamente em diferentes partes do mundo como fixar uma imagem formada a partir da luz em um suporte minimamente duradouro foi o ponto de partida desta volta ao passado proposta por Ionaldo Rodrigues em Primitivo da Fotografia.
+ Leia o texto completo
e outubro passou



Lab.Círio apresenta relato e galeria de imagens

O primeiro Laboratório de Criação em Narrativas Visuais surge como proposta de troca de experiências sensíveis tendo como ponto de partida a festa do Círio de Nazaré. Cinthya Marques apresenta um breve relato com fotos dos participantes.
+ Breve relato com fotos


Fotoativa recebe Régis Amora de Fortaleza para apresentar o Descoletivo

Régis Amora, diretor de comunicação do iFOTO Ceará, nosso parceiro na Rede Norte Nordeste de Produtores Culturais de Fotografia, compartilhou o processo de trabalho do coletivo fotográfico de intervenções urbanas e deixou um convite de colaboração.
+ Breve relato com fotos

Café Fotográfico recebe Cláudia Leão

Na fala "Atlas, paisagens, amor e viagens como ambientes para processos artísticos" a artista e pesquisadora compartilha breve relatos de idas e vindas articuladas, acompanhadas de parte de sua produção recente e alguns teóricos referenciais.
+ Breve relato com fotos

Fototaxia vai às ruas interagir com o Theatro da Paz

As professoras Tayana Teixeira e Taiana Sota, da Escola Liceu de Artes e Ofícios Mestre Raimundo Cardoso, de Icoaracy, conduziram seus alunos para uma atividade fotográfica no Theatro da Paz.
+ Breve relato com fotos

Ver-O-Peso das Águas compartilha produção da oficina de Comunicação

Os participantes da oficina de Comunicação & Blog ministrada por José Viana compartilham parte de suas produções ao longo dos encontros - Blog do Ver-O-Peso das ÁguasBlog da barraca de artesanato Art Cheiro do ParáBlog da Pastoral do Turismo de Nazaré.
+ Veja as produções

 

desenvolvido por
Núcleo de Comunicação e Difusão
Associação Fotoativa

a.fotoativa@gmail.com
+55 (91) 3225-2754

Frutuoso Guimarães, 615
Bairro Campina · Belém · Pará · Brasil

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Palestra, Workshops e Ciclos de Imersão em novembro no Madalena CEI

 
Rua Faisão, 75 – Vila Madalena
São Paulo – SP
05433-030
BRASIL 11 3473.5412
Guy Velosso
FÉ E FEBRE
Manifestações religiosas
 
 
   Palestra Ponto Convergente
   10 de novembro às 20h
    gratuita e aberta ao público
 ver mais
JUAN ESTEVES
São Paulo antiga – Fotografia e Arquitetura
   
    Workshop [15 horas]
    14, 15 e 16 de novembro
    19h às 22h [sexta-feira]
    10h às 17h [sábado e domingo]
     2x R$ 337,50
 ver mais
     JORDI BURCH
Kamera Íntima: A narrativa pessoal dentro do ensaio fotográfico  
 
    Workshop [15 horas]
    21, 22 e 23 de novembro
    19h às 22h [sexta-feira]
    10h às 17h [sábado/domingo]
     2x R$ 337,50
 ver mais
CICLOS DE IMERSÃO
Aproximações – linguagem na fotografia social
 
  
    dias 24, 25 e 26 de novembro
    workshops das 10h às 18h
    Palestra das 19h30 às 21h
    Passaporte para os 3 dias 2x R$ 780,00
    Workshops avulsos 2x R$ 325,00
     vagas limitadas
 ver mais

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Exposição CANTEIRO DE OBRAS de Claudio Tozzi no Sesc Boulevard | Abertura dia 06/11 às 19h | Entrada franca


A trajetória e evolução do trabalho do artista, arquiteto e designer paulista Cláudio Tozzi entra em exposição nesta quinta-feira (6), no Centro Cultural Sesc Boulevard, em Belém. Intitulada Canteiro de obras, a mostra é composta por serigrafias no estilo pop art, com cores, formas e enquadramentos típicos dos quadrinhos da década de 1960. A exposição prioriza temas urbanos e apresenta o olhar do artista sobre os grandes acontecimentos que marcaram a sociedade na época, como os protestos dos estudantes contra a ditadura militar e as transformações do universo feminino. 
A abertura da mostra será realizada a partir das 19 horas, com entrada franca.   
      
Ao todo, a exposição conta com 37 obras, sendo 33 serigrafias, uma litogravura, três pinturas e um objeto de instalação. Elaboradas a partir de diversos materiais, as peças que compõem a mostra tem o objetivo de evidenciar como as artes se manifestam em todas as suas técnicas, além de possibilitar reflexões sobre a vida. Caracterizadas pelas formas geométricas e mistura de cores, as obras de Tozzi retratam o engajamento político e social de uma geração. A mostra pode ser visitada até o dia 28 de dezembro, de terça à sábado, das 9 às 18 horas, e aos domingos, das 9 às 13 horas.  

Vanguardista das artes plásticas e adepto do estilo pop art, Cláudio Tozzi é um artista que está sempre em processo de reelaboração de sua linguagem. Em seu processo metódico e objetivo, Tozzi  transita por vertentes construtivas e conceituais, revelando-se, sobretudo, um arquiteto construtor de imagens. Considerado um dos mais expressivos artistas do cenário nacional, o trabalho de Cláudio, para a crítica especializada, é definido como um marco divisório da arte contemporânea no país. Em mais de 50 anos de carreira, Tozzi teve dezenas de obras expostas em diversas cidades pelo mundo, como Tóquio, Nova York, Londres, Lisboa e Paris.  

Texto: Bruno Costa

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Documentário 'Crônicas (des)Medidas', neste sábado, dia 01/11, no Cine Líbero Luxardo e no Atelier do Porto

Crônicas (des)medidas

Direção e Roteiro: Alyne Alvarez | Produção: Débora Flor | Assistente de Direção: Rodrigo Bittencourt | Direção de Fotografia: Neto Dias | Desenho de Som: Davi Paes | Edição: Woylle Masaki | Direção de Arte: Carol Taveira e Elaine Arruda | Português / COR / 28'





SINOPSE: O filme “Crônicas (des)medidas" é um média metragem (28') que conta parte da história de pessoas que estiveram internadas no Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico do Pará. Quatro histórias marcadas no corpo que contam os efeitos de 4 a 22 anos de institucionalização num dos espaços de clausura mais invisibilizados pelo duplo estigma do seu público-alvo: loucos que entraram em conflito com a lei. As filmagens foram feitas em Paragominas e Belém, acompanhando os casos das pessoas desinternadas, mas também no interior do HCTP, localizado no Complexo Penitenciário de Americano, em Santa Isabel, onde abordamos dois casos de pessoas que, na ocasião, permaneciam internados.

SERVIÇO: 
Documentário Crônicas (des)Medidas 
Locais e horários: 
Cine Líbero Luxardo, Gentil Bittencourt, 650 - Nazaré, Belém - PA | 91 32024321
Sábado, dia 01/11, às 17h30

Atelier Do PortoTravessa Gurupá, 104 - Cidade Velha, Belém - PA | Contato: 091 8296-9188
Sábado, dia 01/11, às 11h e às 15h
Entrada franca

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Exposição "O Brasil de Poteiro" de Antonio Poteiro no CCBEU

O CCBEU em parceria com o Instituto Antônio Poteiro reservou o mês de outubro para coroar o aniversário deste querido artista, com a primeira exposição dele em Belém, na Galeria de Artes do MABEU, no dia 26 de outubro às 19h.


Poteiro imprimiu característica próprias e singulares nas esculturas e telas que produziu. Amava flores, animais, anjos, crianças… dizia que anjos assemelhavam-se à crianças, seres angelicais. Gostava de cantigas de roda e contava muitas histórias aos inúmeros grupos de crianças que o visitaram. Via nos pequenos, um raio de esperança para um mundo melhor.
ANTÔNIO POTEIRO nasceu em 10 de outubro de 1925, e nasceu  para colorir e encher de alegria nossa arte brasileira.

Estarão presente na abertura da exposição o curador Enock Sacramento e o neto do artista, Antonio Poteiro Neto

Antonio Batista de Souza 
(Aldeia de Santa Cristina da Pousa, Braga, Portugal 1925 - Goiânia GO 2010).

Escultor, pintor, ceramista. Imigra com a família para São Paulo em 1926. Mais tarde, reside em Araguari e Uberlândia, em Minas Gerais, onde inicia a atividade de ceramista, realizando peças utilitárias. Monta duas fábricas de cerâmica, que vão à falência, e passa um longo período entre os índios na Ilha do Bananal, em Goiás. Passa a residir em Goiânia. Em 1957, adota o apelido de Antonio Poteiro por sugestão da folclorista Regina Lacerda, que o orienta a assinar seus bonecos de barro. Gradualmente passa a apresentar, em suas obras, motivos regionais e temas bíblicos. Em 1972, já como conhecido ceramista, é estimulado a pintar por Siron Franco (1947) e Cleber Gouvêa (1942). Expõe seus trabalhos em mostras no Brasil e no exterior. Leciona cerâmica no Centro de Atividades do Sesc e nas cidades de Hannover e Düsseldorf, na Alemanha. Em 1985, recebe o prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA, na categoria escultura. Em 1997, é homenageado com a Comenda da Ordem do Mérito Cultural, do Ministério da Cultura, Brasil.